domingo, 30 de janeiro de 2011

ATEUS

Dia desses conversei com um ateísta, ele não é um cientista famoso, nem um filosofo super estudado, nem um físico quântico que estuda a criação do universo (desculpem pelo estereótipo de ateísta), e sim, alguém comum que diz não acreditar em “deus” e me fez milhões de questionamentos sobre o porquê creio em Deus.

Usou todos os argumentos para dizer que deus é ruim, que se deleita na morte de pessoas inocentes, é preconceituoso, incita guerras, violências, desacreditou da veracidade da Bíblia, e etc. Ouvi atentamente todos os argumentos, até que algo me veio à mente.

Questionei: “Se deus não existe, porque te incomoda tanto o fato de eu, e outras milhões de pessoas crerem nele. Não posso ter minha loucura para viver melhor, ter uma esperança utópica e assim ser um pouco mais feliz?”

A pergunta o deixou um pouco irritado e com razão, mas começou novamente a argumentar como a crença em deus foi e é ruim para a humanidade. Usei os próprios argumentos dele para contra-argumentar.

Se deus não existe, quando alguém e preconceituoso em nome dele, simplesmente é preconceituosa, e usa esse deus para não se sentir culpada, assim também quando fazemos guerras, usamos de violência, matamos inocentes., etc. Se analisar por este ângulo, verá que a maldade está no ser humano, e não em deus, por que ele não existe, e é usado apenas como bode expiratório, para validar a monstruosidade de alguns humanos e para que elas não se sintam culpadas, pois fizeram apenas o que deus mandou.

Falamos sobre muitas coisas, a conversa foi boa e produtiva, apesar de exaltada em alguns momentos, porque fé é convicção na loucura e ateus geralmente se baseiam em fatos, então, é fato que a maioria deles, pelo menos como este, de certa forma acreditam em deus, pois é fato que a humanidade cometeu atrocidades em nome de alguns deuses, e é contra isso que ele argumentava – “contra fatos não há argumentos”.

O que considerei estranho foi o fato dele ter tantos adjetivos para falar de alguém que não existe, por que o que não existe não há como adjetivar. Eu digo que deus é amor, e tudo o que é perfeito e bom, mas não é isso que ele consegue enxergar, logo deus é maligno, mas mesmo assim não deixa de ser deus e muito menos de existir.
Será que todo Ateu, pensa assim?

5 comentários:

Will Lukazi disse...

Muito boa a postagem e tambem o conteudo geral do Blog. Gosto de ambientes assim. Estou seguindo.
Grande abraço.Lhe convido a passear pelo meu, meu amigo. E por falar em atéismo: fique com Deus.

Marcela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcela disse...

Olá David! Talvez todo ateu pense assim. Considero o ateísmo uma religião, que como toda ela, defente até os dentes(com guerra se preciso for) seua ideias. E para isso adjetiva um ser q nem acreditam, como vc mesmo disse, e o culpam por tudo. Enfim, se voltam e colocam no altar de suas questões o q dizem não existir. Quem crê em Deus, livre de conceitos, religiões, dogmas e preceitos, simplesmente crê. Não tenta provar nada a ninguém. Não ataca e nem defente. Essa é a fé consciente. Adorei seu blog. Abraços

Lucas disse...

Ola, Sr. David.
Eu estava "passeando" pela internet e me deparei com vosso texto.
Primeiramente, irei parabeniza-lo pela iniciativa de tentar produzir algo de útil de debates que envolvam religião, pois a maioria acabam em impasse.
Como eu sou daqueles que nos resultados das pesquisas ficam como "se recusou responder/indefinido" tenho a posição, não sei se privilégiada ou desfavorável, de fogo cruzado. De toda forma, tirando proveito dessa posição, darei minha opinião.
A estupidez também não escapa das bocas dos (ditos) ateus. Tem-se que levar em conta que da mesma forma que os ateus alegam a idiotice de certos argumentos que certos representantes religiosos usam para fundamentar seus discursos( obviamente, é sensato se admitir que alguns religiosos também não escapam da estupidez). Com isso alguns já têm como suficiente para alegar a não existência de Deus, coisa no mínimo precipitada. O ponto aqui, meu caro, é para não se generalizar os ateus/religiosos porque, como deve saber, a uniformidade é uns dos mais raros adjetivos humanos.
Eu não creio que se possa simplesmente provar a existência/inexistência com êxito através de testemunhos, argumentos, fatos científicos e etc. Entretanto para se acreditar em Deus ou não, não são necessárias inúmeras evidências e sim apenas uma simples questão de crença.

Respondendo sua pergunta: Conheço ateus sensatos.

Espero que tenha servido de alguma coisa. Boa noite. (visitarei o blog de vez em quando, a partir de agora)

PS: Lhes deixarei uma pergunta: É possível se determinar a existência da "não-coisa" sem antes existir a "coisa". Em outras palavras: É possível se determinar a não-existência de Deus, sem antes existir um Deus?

PPS: O ateus também vão ao céu.(acho)

PPPS: Outras questões: Quem, afinal, escapa da estupidez?
Farei algumas outras caso este comentário renda alguma coisa.

Piloto de fogão disse...

Olá David, tudo bem?

Se cabe aqui a minha opinião... Eu penso que existem ateístas e ateístas. Teístas e teístas. Aprendi ao longo dos anos a não generalizar. E, principalmente, não discutir algo que não dará em nada! Mas, nem sempre fui assim! Defendia com unhas e dentes minhas opiniões. Hj, sinceramente, prefiro exercer o respeito mútuo.
Se acredita e vive bem com isto, quem sou eu pra dizer o contrário. Respeito sim e muito! Tenho um filho de 18 anos que é cristão e vivo de boa com ele. Nos respeitamos mutuamente e nunca tentamos convencer um ao outro quem está certo ou errado!
Ele cristão eu ateu vivendo na PAZ.
Respeito a liberdade de cada um e gosto de ser respeitado tb, simples assim, como deve ser a vida...

Abraços...

Teko

Postar um comentário