sábado, 12 de dezembro de 2009

DE QUEM É A CULPA?

Foi divulgada pela Revista Época, a pesquisa "Indicação de Alfabetismo Funcional - Inaf 2009". Realizada pelo Ibope desde 2001 a pesquisa tem como objetivo medir o analfabestismo funcional na população entre 15 e 64 anos. O Indicador é dividido em quatro níveis, sendo: analfabetismo, alfabetismo rudimentar, alfabetismo básico e alfabetismo pleno [ leia o texto na integra e a descrição dos níveis AQUI ].

A pesquisa mostra que 32% dos brasileiros com Ensino Superior não são plenamente alfabetizados, e esse número não somente deixou de crescer, como caiu 3% em relação a 2007.

Para a pesquisadora Vera Masagão, uma das coordenadoras do estudo "a popularização do Ensino Superior pode estar afetando sua qualidade".

Vamos as questões?


  • Você concorda com a opinião da pesquisadora Vera Masagão "a popularização do Ensino Superior pode estar afetando a sua qualidade"?


  • O caso da Uniban, pode ser uma amostra desses resultado, uma vez que as pessoas menos instruídas tendem a ter reações mais violentas, pela incapacidade de argumentar?


  • Onde fica o interesse individual dos estudantes? [antes de responder, lembre-se da famosa frase: Quem não cola não sai da escola]


  • Hoje ter um diploma é certeza de um profissional bem formado [competências técnicas e comportamentais plenas]?

Lançado o desafio: Questione-se!

2 comentários:

Glauco Menon disse...

Caro amigo Davi.

É de fato um absurdo, um país que se diz emergente simplesmente ignorar esta situação. Acho que a pergunta é: Emergir para onde?

Vamos as respostas:

1 - Sim, a popularização do ensino superior faz com que pessoas que se quer sabem fazer contas de divisão tentarem operar uma calculadora HP. A ordem das coisas estão invertidas. Talvez por isso que vemos tantos Médicos, Advogados, etc, desempregados. Talvez alguns destes não passam no concurso público para poder exercer devido as suas incapacidades básicas que foram perdidas no supletivo, quando este tinha apenas o sonho de ter faculdade sem fazer muito esforço.

2 - O caso da Uniban apenas prova que a inteligência mais importante para um ser humano seja ele de sucesso ou não, não é trabalhada em nenhum momento do estudo. A inteligência emocional. Talvez seja a falta dela que leva profissionais gabaritados e com muito dinheiro a fazerem loucuras no mundo. Falta equilíbrio, acompanhamento, desenvolvimento do emocional, etc.

3 - Você lembra quando uma Gestora te falou algo que te magoou muito? "A Operação é burra"?
Digo o mesmo da população do nosso país. Para pelo menos 90% dos estudantes ir para a faculdade é sinônimo de bar e não de estudar. E não estou falando de faculdade e alunos de baixo nível não, basta passar na porta do Mackenzie de noite em qualquer dia da semana que verá.

4- Com todos os itens acima, quando eu for um dono de empresa com certeza não levarei em conta apenas um bom diploma. Hoje em dia não significa nada, e para ajudar estamos fazendo a mesma cagada com os cursos de especialização e de MBA, etc.

Abraços,

Tomai e Comei: Aqui nasce um novo reino. disse...

"Qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que possui, não pode ser meu discípulo" (Lc 14,37). Os 11 discípulos respeitaram isto. Os primeiros cristãos também. Apenas Judas preferiu o dinheiro e a propriedade particular. Você se considera Judas, o traidor, ou discípulo? Se você se considera Judas temos algo em comum e muito a conversar.

Postar um comentário